Controlando os Sentimentos Ruins

[BÍBLIA] O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta, mas não aceitou Caim e sua oferta. Por isso Caim se enfureceu e o seu rosto se transtornou. O Senhor disse a Caim: “Por que você está furioso? Por que se transtornou o seu rosto? Se você fizer o bem, não será aceito? Mas se não o fizer, saiba que o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo”. (Gênesis 4:4-7)

 
Os filhos de Adão, Caim e Abel apresentaram ofertas a Deus, cada um segundo o seu trabalho. Deus aceitou a oferta de Abel e não a de Caim. Ele não é obrigado a aceitar a oferta de ninguém. O contexto desperta sentimentos ruins no coração de Caim. A orientação de Deus para ele foi: o pecado deseja conquista-lo, mas você deve dominá-lo.
 
No coração de Caim começou a intentar o mal, devido ao contexto que estava vivendo. Ele desejava que sua oferta foi bem aceita. Deveria fazer uma boa oferta, mas não fez. Ao invés de colocar o seu pensamento na solução do problema, deixou o mal tomar o seu coração e gerar coisas ruins. Veja bem, a solução para resolver o seu problema era fazer uma boa oferta para Deus, isso ele não fez, agora deseja matar o seu irmão pois na sua compreensão a sua oferta não foi bem aceita por causa do seu irmão que fez algo superior. Ele entrou em um estado de irracionalidade. Seus pensamentos agora não contribuem para a solução, mas para uma situação pior.
Muitas vezes o que se passa na cabeça de uma pessoa em uma situação desfavorável é algo totalmente desconectado da realidade, sua mente não está focada na solução, mas nos sentimentos negativos naquele momento. Ao invés de se concentrar na solução, se foca nos sentimentos e nas pessoas envolvidas, isso não gera evolução, mas empecilho para vencer a etapa e prosseguir para o alvo. Ficar emburrado, esbravejar, encontrar culpados, gerar inimigos, nada disso resolverá o problema.
 
Veremos pessoas recebendo prêmios e nós não, sendo prestigiadas e nós no mesmo estado, pessoas comprando e adquirindo coisas que gostaríamos de ter e nós sem condições de ter. Para todos esses casos devemos controlar os nossos sentimentos e o pecado que bate à porta. A orientação de Deus para Caim foi essa: não o deixe conquistar, domine-o!
 
Se entende que é algo muito forte que virá em nós, o pecado vem conduzido por sentimentos ruins que abrirão facilmente a porta do coração, nesse momento se deve domina-los. Ou seja, batalhar para que não adentre e conquiste o que há dentro de nós. Em geral é difícil controlar, pois são os seus sentimentos ruins e a incompreensão que estão permitindo isso acontecer. Existe um desejo interno que o mal entre. Mas ele deve ser controlado.
 
Quem nunca passou por isso? A fúria que domina o ser, jogando para o lado toda racionalidade e desejando achar culpados para a situação que está vivendo. Quanto mais cresce, pior fica. Só existe uma solução, deve ser controlada.
 
Ninguém gosta de ser confrontado ou humilhado ou desprestigiado publicamente. Mesmo que seja merecido, isso gera sentimentos ruins. É uma discussão que perde a razão e só fica os egos brigando entre si, querendo mostrar para o outro que é superior.
 
Alguns meses atrás uma pessoa me procurou, ela dizia que estava passando por uma grande dificuldade, sua ex-mulher estava lhe colocando na justiça por causa da pensão alimentícia do seu filho que ele não estava tendo condições de pagar, ele tinha sido demitido e o novo trabalho não lhe pagava o suficiente. Nos últimos dias antes de me procurar, ele estava ficando em casa sem ir ao trabalho. Ele precisava de uma resposta rápida para o seu problema, mas não tinha. Expliquei para ele que essa era a teoria do desespero de Kierkegaard. O que é desespero? É uma pessoa que passa meses desempregado, certo dia coloca um monte de currículos debaixo do braço e diz: “Só voltarei quando estiver empregado”. Ele passa o dia a procurar trabalho e encerra a sua procura sem muito sucesso. Desespero é tentar resolver algo que não conseguiu por muito tempo em um dia. Geralmente desespero não resolve nada, só piora. Grandes problemas não são resolvidos facilmente. E aquilo que não foi resolvido a longo prazo, geralmente por desleixo, não será resolvido em poucos dias. Disse a ele, primeiramente ore pela manhã, todos os dias, para encontrar a paz. Depois, faça um plano de como resolver o problema, de quanto precisa ganhar para pagar a pensão e sobreviver. Depois tente executa-lo. Ficar sofrendo ou sem dormir não iria resolver nada.
Mostrar que está certo não ajuda em nada, atacar os outros não trará solução, encontrar culpados não resolve o problema. Ficar prostrado, sem dormir, pensativo e tristonho não mudará em nada o problema. Melhor é colocar a mente em ordem e se focar na solução. A oração matinal ajuda muito a colocar as coisas no devido lugar e encontrar a paz no coração. Se deve concentrar na resolução do problema e não se deixa conquistar pelo mal, esse só quer destruir a esperança e roubar a alegria. Não o deixe ganhar a sua vida.
 

[BÍBLIA]…ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo”. (Gênesis 4:7B)

 
O sentimento ruim abre a porta para o mal e esse é um agente que deseja penetrar e tomar a vida. O mal está pronto para atacar e conquistar. Nosso corpo é nossa fortaleza. Nossa missão é nos proteger e guerrear contra a maldade, dominando todo pensamento, conclusão, entendimento e ego para evitar que sejamos destruídos por ele. Você deve domina-lo e evitar que adentre e te conquiste.
 

[BÍBLIA] Seria possível dominar os sentimentos e evitar o mal?

Alexandre, o ferreiro, causou-me muitos males. O Senhor lhe dará a retribuição pelo que fez.
Previna-se contra ele, porque se opôs fortemente às nossas palavras. Na minha primeira defesa, ninguém apareceu para me apoiar; todos me abandonaram. Que isso não lhes cobrado. Mas o Senhor permaneceu ao meu lado e me deu forças, para que por mim a mensagem fosse plenamente proclamada, e todos os gentios a ouvissem. E eu fui libertado da boca do leão.
O Senhor me livrará de toda obra maligna e me levará a salvo para o seu Reino celestial. A ele seja a glória para todo o sempre. Amém. (2 Timóteo 4:14-18)

 

No final da segunda carta a Timóteo, Paulo cita algumas pessoas e algumas situações em especial. Ele fala de uma pessoa chamada Alexandre que lhe causou muitos males, mas não guarda rancor dele e nem orienta ninguém a vingança, ao contrário, diz que o Senhor o retribuirá pelo que fez. Ele não o amaldiçoou, pediu retribuição de Deus pelas coisas boas e ruins que esse ferreiro fez. Ou seja, não era problema de Paulo.
Depois o Apóstolo fala que em sua primeira defesa no tribunal romano ninguém foi para o defender. Paulo evangelizou metade de um continente, fundou várias igrejas locais e ajudou muitas pessoas. Ele viveu sem família em prol dessas comunidades cristãs e fez de tudo por elas. Passou os últimos anos presos por causa do evangelho pregado aos outros. É de se esperar uma gratidão e apoio nesse momento difícil da vida dele, mas não teve nenhum. Mesmo assim ele indica que já perdoou e nada lhes será cobrado.
 
Paulo não revida aos ataques e nem tem rancor daqueles que o abandonaram e esqueceram do nobre Apóstolo. Paulo está em paz. Na verdade ele se sentia

MeninoCantando

seguro pois estava com Deus e por isso foi liberto da condenação. Ele, após anos na prisão, não carregava sentimentos ruins e nem decidiu abandonar o seu ministério cristão por tudo que passou. Ainda sim estava ativo e evangelizava. Tudo que passou não destruiu o seu chamado. Ainda no tribunal falava das verdades que vivia e evangelizava.

Caim fez errado e culpou Abel por seu erro. Abel não teve culpa pelo fracasso do seu irmão, mesmo assim era mais cômodo para Caim culpa-lo. Caim viveu a sua vida carregando o rancor do seu irmão. Ele não dominou o sentimento ruim, mas antes, o deixou conquistar.
 
Paulo não deixou o sentimento ruim conquistar a sua vida, mas antes, dominou e prevaleceu. As afrontas, ataques, difamações, abandonos e traições não fizeram parar com sua missão. Ele não passou a vida a se encher de ódio pelos outros, preferiu perdoar e viver Cristo. Para ele, o Reino Celestial lhe era muito mais vantajoso. O que lhe foi prometido valia sofrer tudo, não tinha tempo para olhar para trás, preferia contemplar a sua vida futura. Entre viver amargurado e ser feliz, Ele preferiu ser feliz!
 
Como ele fez isso? Sabemos que Paulo era um homem de oração e alguém entregue ao Espírito Santo. A oração diária tem esse poder de centrar os pensamentos nas coisas certas e não deixar ser levado por sentimentos ruins. A oração diária nos aproxima de Deus e traz paz. Assim dando lugar ao Espírito Santo e a sua doce voz, capaz de guiar ao caminho certo e vencer momentos difíceis.
 
Mensagem de ontem a noite, e agora, parte do meu livro “Meu Mindset”
 
Compartilhe...
Compartilhe com os amigos...
Moisés Nogueira de Faria
Escritor e Blogueiro

Deixar uma Mensagem de Resposta