Ela o chamou para fora do seu mundo

Todos os dias ele acorda cedo para cuidar do seu campo. Por onde passava era possível notar detalhes realizados por suas mãos habilidosas. As copas das árvores eram arredondadas, a grama incrivelmente cortada e os pomares eram apetitosos. Por ter feito tudo, lhe era tudo perfeito. Sozinho trabalhava e sozinho dormia.

Certo dia, uma moça foi vista em seu pomar. Estava somente admirando a beleza das macieiras. Ele ficou faceiro ao vê-la em meios as suas belas maçãs. Logo imaginou que gostaria de ver todo o resto. Foi ao seu encontro e a puxou pela mão, quis mostrar cada detalhe do seu pequeno mundo. Não satisfeito, lhe construiu uma casa para morar. Usou das suas melhores madeiras que tinha a disposição. Ficou feliz. Ainda construiu um belo banco debaixo da maior árvore e um balanço com cordas. Ele a amou.

Constrangida com tanta gentileza decidiu morar na bela casa e todas as manhãs brincava no balanço. Ela comia das frutas do pomar e nos finais da tarde sentava no banco para assistir o pôr do sol.

Depois de algum tempo, ela o chamou para fora, mas ele relutou em ficarem. Eles estavam apaixonados, por isso acabaram permanecendo. Passaram alguns dias, ela o puxou pelo braço e insistiu em sair, mas novamente lhe foi negada. Ele concluiu que precisava de novidades, por isso, lhe construiu uma ponte sobre o lago para passear e um jardim para as flores colher. Novamente ficou constrangida e decidiu ficar.

Todas as vezes que ela tentava arrasta-lo para fora, lhe fazia algo novo. Se ela era insistente mais recebia. Relutou até onde pode, até que decidiu ir embora sozinha. Ele correu para os limites do seu mundo para ainda tentar trazê-la de volta, só ai percebeu que ela tinha um campo tão grande quanto seu. Era diferente, mas bonito. Tinha sua própria casa e um balanço preso à árvore. Tinha tudo que ele tinha e mais algumas coisas que mesmo forçando a vista não conseguia compreender.

Ela não queria ir embora, mas mostrar o seu campo. Não estava insatisfeita com o que tinha, mas queria juntar o seu mundo ao dela. Viveu no mundo dele, mas tinha muito que mostrar. Deveriam construir juntos, o compartilhado é melhor que o partilhar de um dos lados somente.

Ele sentou sobre a sua cerca e ficou a esperando na certeza que iria voltar. De tão perfeito que era o seu lugar não queria sair de lá. Mas com o tempo decidiu se aventurar e atravessar a estrada. Agora ele conhecia um novo lugar e entendia que existia um mundo nela que era tão bonito quanto o seu.

– Durante a conversa com uma pessoa que estava se separando, em minha mente se projetou essa história.

Moisés Nogueira de Faria
@moisesnogueiraoficial

Compartilhe...
Compartilhe com os amigos...
Moisés Nogueira de Faria
Escritor e Blogueiro

Os comentários estão desativados.