Meu Mindset Cristão Empreendedor Descomplicado

Um casal de classe média teve gêmeos idênticos. Para garantir que um não tivesse privilégios sobre o outro, o que um tinha, o outro também teria igualmente. Assim foram criados, tendo os mesmos brinquedos, roupas, entretenimentos, festinhas e ambientes. Aonde um ia, o outro também ia. Passaram-se os anos, até que certo dia o pai precisava sair e de forma nenhuma poderia levar os dois juntos. Um teria que ficar. Nesse dia, o que ficou assistiu a um novo programa de televisão a que nenhum dos irmãos tinha assistido. Naquele momento ele recebeu uma nova informação e algo mudou em sua mente. O que saiu com o pai nada soube sobre isso. Nesse dia, os gêmeos tiveram uma ruptura de conhecimento: agora um tinha uma informação a mais que faria toda a diferença no futuro. Ele teria um mindset diferente do de seu irmão.

Essa história, contada por Stephen Covey em seu livro Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes, é um exemplo para demonstrar que não somos moldados pelo ambiente, mas por decisões. O ambiente tem as suas influências sobre as pessoas, mas as decisões influenciam muito mais a trajetória de vida. Por isso podemos ver pessoas da mesma classe social tomando rumos diferentes em suas vidas, umas muito bem-sucedidas, outras não. Algumas pessoas criadas em favela tomam rumos extremamente altos e conseguem superar a classe média e chegar até as classes sociais mais altas. Se fôssemos moldados pelo ambiente, não veríamos casos de irmãos que tomam rumos opostos, um escolhendo o caminho correto e o outro, em alguns casos, o da criminalidade.

A diferenciação não está fora da pessoa, mas dentro dela. É o seu mindset (configuração mental). Podemos entender que mindset é o conjunto de informações, entendimentos, verdades e direcionamentos que compõem a mente de alguém. O mindset tem poder sobre as decisões futuras de alguém, sobre seus caminhos e crenças.

 

Todos fazem parte de algum grupo social, ou melhor, de muitos. Existem os grupos políticos: uns dizem que são de direita, outros de esquerda. Existem os grupos de entretenimento: torcedores aficionados de futebol, cada um com o seu time. Uns gostam de andar de bicicleta, outros de skate, outros são adeptos de trilhas ou esportes radicais. Existem os grupos definidos por religiões: os católicos, os batistas, os presbiterianos, os pentecostais, entre muitos outros. Existem outros tipos de grupos. Cada um fez as suas opções segundo o seu próprio mindset: os seus entendimentos sobre Deus, lazer e vida os levaram a fazer escolhas sobre aonde ir e o que fazer.

Se tomarmos o exemplo de um batista tradicional, décadas atrás ele poderia ser considerado somente isso, pois não tinha acesso a nenhuma outra informação sobre outras religiões e tampouco as aceitava. Mas hoje em dia ele tem acesso às mais diversas informações, e com grande disponibilidade. Para exemplificar, ele pode assistir ao Pr. Silas Malafaia de manhã, ao Rev. Caio Fábio logo em seguida, receber mais tarde uma mensagem do Pe. Fábio de Melo, assistir à noite às mensagens do Bispo Edir Macedo e ainda ler um livro meu antes de dormir. Não tenho nada contra ninguém, só uso esses nomes de pessoas conhecidas para exemplificar um contexto. Ele não tem acesso apenas aos conceitos religiosos e doutrinários da sua igreja e àquilo que é pregado no domingo à noite. Tem um misto de informações de várias denominações, sendo que em muitos casos as suas doutrinas são confrontantes, diferentes. Assim o seu mindset não é formado somente pelo que o seu pastor prega, mas por várias outras fontes de informação. Ou seja, essa pessoa não tem necessariamente uma mente batista tradicional, mas a ela se acrescentam vários conceitos de outras fontes.

Além das informações recebidas de ministros do Evangelho, ele ainda deve estar recebendo mensagens de autoajuda, textos filosóficos, histórias de superação, e tudo isso ajuda a formar um mindset único. Exclusivo.

Sofremos ainda a influência de professores, famílias, amigos e outros que em muitos casos não compartilham das mesmas ideologias de vida. Conversar com uma pessoa que exerce autoridade sobre ela pode render acréscimos ao seu mindset.

Volta e meia encontramos conceitos de positivismo e lei da atração sendo dito por cristãos como se fossem retirados da Bíblia. Uns dizem “Profetiza”, outros “Determina”, há ainda a turma do “Segura a bênção aí e diz amém”. Muitos trocaram o seguir a Jesus pelo seguir profecias. Alguns deixaram o amor ao próximo pela prosperidade. São muitos os casos de sincretismo entre o Evangelho e doutrinas de autoajuda. O “vai dar certo” tornou-se um belo substituto da fé e da oração. É fácil notar pessoas que nada sabem sobre construir uma carreira, que não estão lutando por isso ou desconhecem o valor da perseverança. Cristãos que não sabem como orar ou se empenhar em um propósito. Eles sofrem diante das batalhas espirituais. Existem cristãos que não perdoam e acham que vão morar no céu.