O Conselheiro

O Conselheiro

O Conselheiro

Ouvi, filhos, a instrução do pai, e estai atentos para conhecerdes a prudência. Pois dou-vos boa doutrina; não deixeis a minha lei. Porque eu era filho tenro na companhia de meu pai, e único diante de minha mãe. E ele me ensinava e me dizia: Retenha o teu coração as minhas palavras; guarda os meus mandamentos, e vive. (Provérbios 4: 1-4)

Salomão, quando era pequeno, sentou-se com o seu pai e escutou conselhos preciosos que fizeram toda a diferença em sua vida. A instrução dada pelo pai é parte do educar um filho. O pai tem o dever de ser um bom conselheiro para o filho, o pai é mais experiente e pode acrescentar muito conhecimento e trazer-lhe direcionamento. Quando ganhamos um filho espiritual, é dever nosso direcioná-lo e instruí-lo na verdade, ser seu conselheiro nos mais variados assuntos, tendo o coração na melhor formação e instrução.

Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras, e se multiplicarão os anos da tua vida. (Provérbios 4: 10)

Um novo filho espiritual tropeça muito por falta de orientação. Todos iniciam a sua carreira cristã como um bebê espiritual que necessita do seu alimento para sobreviver. É impossível um recém-nascido não errar, não entrar em enrascadas ou situações difíceis. Ele necessita da supervisão de alguém mais experiente para poder prosseguir. Geralmente não temos tanta paciência com a imaturidade de alguns que perseveram em errar e ignoram os preceitos de Deus. Eles não são assíduos nas reuniões, não seguem os direcionamentos do Espírito Santo, evitam a comunhão e a correção. Para esses casos são necessários os conselheiros e a sua grande paciência. Se ninguém nunca se dispuser a aplicar o seu coração à imaturidade deles, como conhecerão a verdade e se transformarão?

Se ninguém nunca se dispuser a aplicar o seu coração à imaturidade deles, como conhecerão a verdade e se transformarão?

Ser misericordioso é ser paciente com as deficiências dos outros, saber que cada um está em um nível diferente de progressão, uns mais adiantados, outros progredindo lentamente. Então a quantidade de tropeços e quedas é referente à quantidade de conhecimento e fé de cada um. Aqueles que seguem os conselhos dos seus pais terão menos empecilhos e saberão lidar melhor com sua própria vida. Tenha paciência com os deslizes dos outros, com a sua imaturidade, com os seus questionamentos, revoltas e quebras de conduta. Às vezes seus confrontos são apenas sinais de uma pessoa que precisa ser mais bem aconselhada. Conselhos bons fazem toda a diferença. Um bom conselheiro ama o seu aconselhado e acredita em sua ascensão, mesmo que durante o processo dê poucos sinais de que a alcançará.

Eu o conduzi pelo caminho da sabedoria e o encaminhei por veredas retas. Assim, quando você por elas seguir, não encontrará obstáculos; quando correr, não tropeçará. Apegue-se à instrução, não a abandone; guarde-a bem, pois dela depende a sua vida. (Provérbios 4: 11-13)